A cultura do vinho no Líbano remonta há mais de 5.000 anos, quando seus antigos habitantes, os fenícios, começaram a plantar uvas e exportar vinho para o Egito, Roma, Grécia e Cartago (atual Tunísia).

O primeiro milagre público de Cristo – a transformação da água em vinho- nas Bodas de Canaã, acredita-se que tenha ocorrido na Antiga Cananéia, ao sul do país.

E o Vale do Bekaa, conhecido por ser a região fértil do Líbano, abriga as mais importantes vinícolas do país.

São elas o Chateau Kefraya e o Chateau Ksara, cada uma situada na respectiva cidade de mesmo nome.

Mas também tem o Chateau Musar e outras mais para o Norte.

Só em Batrun são 12 vinícolas pequenas.

Em 1979, o fundador do Chateau Kefraya Michel Boutrous começou a produzir os primeiros vinhos.

E em 1987, já estava exportando, com o lema “a terroir, a soul, a great wine”. 🙂

Desde então, ganhou elogios internacionais da Europa, América do Norte e Ásia, por criar a mistura perfeita de sabores e gostos.

Essa vinícola encanta os visitantes já no caminho, pela bela paisagem apresentada através do Monte Barouk, onde está situada a segunda maior reserva de cedros do mundo.

Eu considero Kefraya como uma das mais refinadas, tanto os vinhos como a sede e suas instalações.

Os jardins são bem cuidados e divididos em zonas com nome de óperas e seus autores.

Eles são tão bonitos e agradáveis que costumam ser alugados para festas de casamentos!

O restaurante Le Relais Dionysos é aberto aos visitantes e fica bem ao lado dos jardins, ambiente extremamente agradável, com comida variada e típica libanesa.

Tem também uma sala onde os clientes podem visitar e degustar alguns dos vinhos em exposição, conferir os vários prêmios que já receberam e que estão orgulhosamente pendurados nas paredes.

É nessa sala também que os visitantes podem comprar seus vinhos a um preço muito acessível!

Pode-se fazer um tour de trenzinho por toda a área, com duração de 20 minutos onde você se depara, além das uvas e dos belos jardins já citados acima, com nada mais nada menos que um sítio arqueológico!

Sim. Kefraya já foi lar da cultura Qaraoun, datada de antes da Revolução Neolítica.

A empresa, que possui 300 hectares de vinhedos próprios, todos bem próximos da sede e, com sua produção de 2 milhões de garrafas por ano,  é um dos maiores produtores de vinhos finos do Líbano.

Algumas das uvas produzidas aqui são Cabernet Sauvignon, Syrah, Grenache, Carignan, Cinsault, Mourvèdre, Chardonnay, Sauvignon Blanc, Viognier e Clairette.

Ou seja, diferentemente de Ksara, 70% da produção de Kefraya é dedicada ao vinho tinto.

O restante é vinho branco, rosé, vinhos doces (de sobremesa) e Arak.

kefraya-caminho

kefraya-jardim

kefraya-marketing

chateau-kefraya-jardim-1

kefraya-jardim-trenzinho

kefraya-barris-1

kefraya-barris-2

kefraya-barris

kefraya-gruta-funeraria-romana-2

kefraya-gruta-funeraria-romana-1

kefraya-gruta-funeraria-romana-3

kefraya-gruta-funeraria-romana

chateau-kefraya-vinho-antigo

kefraya-vinhos-caixa

chateau-kefraya-restaurante-2

chateau-kefraya-restaurante-4

 


Veja também:

Ksara, uma vinícola milenar fundada pelos jesuítas no Vale do Bekaa

Beit el Kroum, o mais novo e trendy hotel boutique de Zahlé

Our Lady of Bekaa, no alto de Dhour, Zahlé

Guia de Viagem para o Líbano 

Líbano- o país e seu povo

 


 

Facebook Comments

2 Comentários