Todo mundo sabe que o fondue é um prato típico da Suiça, assim como a salsicha é da Alemanha e a batata frita é da Bélgica (ou seria da França? Frech Fries).

De qualquer forma, a Europa tem muitas outras delícias que você nem imagina!

Veja abaixo algumas curiosidades da gastronomia europeia, através dos pratos mais tradicionais e inusitados de Dinamarca, Mônaco e Noruega.

 

Dinamarca

Na Dinamarca, um prato que você não pode deixar de experimentar é o famoso smørrebrød. O nome é difícil, mas a receita é bem simples. Trata-se de um sanduíche aberto de pão de centeio, que pode ser recheado com os mais variados ingredientes, como salmão, arenque ou carne de porco.

Ele surgiu no século XIX como uma opção de almoço apreciada por toda a população, desde agricultores e operários de fábricas até a elite. Nos últimos anos, ele se tornou uma verdadeira moda e ganhou vida nova. Os chefs dinamarqueses estão constantemente criando novas combinações de sanduíches que vão muito além do tradicional.

O smørrebrød é tão importante para a cultura dinamarquesa que ganhou até um aplicativo! Através do Smorrebrod from Copenhagen é possível descobrir a história do tradicional sanduíche e acessar um guia completo com os melhores lugares para degustá-lo.

gastronomia-europeia-dinamarca

Mônaco

Uma panqueca saborosa com algumas gotas de Grand Marnier e uma história inusitada. O Crêpe Suzette é uma sobremesa conhecida mundialmente, mas o que poucos sabem é que essa receita foi criada acidentalmente no Principado de Mônaco, no tradicional Café de Paris.

No final do século XIX, o Príncipe de Gales, que viria a tornar-se o rei Edward VII do Reino Unido, era um visitante frequente e entusiasta de Mônaco. Durante um almoço no Café de Paris, o chef Carpentier preparava panquecas com licor quando, sem querer, os ingredientes da panela começaram a pegar fogo e flambaram. O príncipe ficou encantado com o espetáculo e perguntou ao chef o nome da receita. Pego de surpresa, o chef admitiu que a receita havia sido inventada para a ocasião e sugeriu que as panquecas fossem chamadas de “princely crêpes”, em sua homenagem. No entanto, o príncipe propôs que as chamassem de Suzette, o nome da mulher que ele havia levado para almoçar. (Quem não quer uma homenagem dessa, hein?)

Jean-Claude Brugel, atual chef do Café de Paris, costuma ser solícito ao indicar sua receita secreta de Crêpe Suzette. Que tal, então,ir até lá pedir? Tá aí um bom estímulo para a próxima viagem ao Principado.

 

gastronomia-europeia-monaco

Noruega

Aposto que essa poucos saibam. A Noruega é um dos melhores destinos para se degustar carnes exóticas.

Estima-se que no extremo norte do país vivem mais de 250 mil renas, por isso, os povos indígenas da região, conhecidos como Sami, criaram a tradição de cozinhar pratos com a carne do animal. Essa tradição foi passada para o restante da Noruega e hoje é possível degustar a carne de rena de norte a sul.

Nos últimos anos, o número de cervos passou a ser ainda maior que o de renas nas florestas da Noruega, por isso essa carne também se tornou muito popular. É encontrar carne de cervo fresca, defumada, curada ou seca. Outra carne também curiosa é a de Tetraz, que são aves parecidas com a galinha, mas com um sabor bem mais intenso.

Todas essas opções podem fazer parte de uma experiência gastronômica incrível na Noruega! No geral, essas carnes são magras e se tornam uma verdadeira iguaria quando preparadas corretamente. Quem gosta?

gastronomia-europeia-noruega

 


Texto e Fotos: assessoria de imprensa


 

Confira também

SkyLounge premiado como o melhor bar de hotel de Amsterdã

Kong, restaurante luxuoso de Paris, onde foi gravado Sex and the City

3 bares mais badalados de Londres

Festivais Gastronômicos em São Paulo

Facebook Comments

4 Comentários