A poucos quilômetros da capital libanesa, bem no alto da colina, encontra-se Harissa, uma linda estátua da Virgem Maria, também conhecida como Nossa Senhora do Líbano.

Harissa é um importante lugar de peregrinação do Oriente Médio, localizado na cidade de Jounieh, Líbano – país de predominância cristã- para a surpresa de muitos ocidentais.

O Santuário que acolhe diariamente peregrinos de todas as religiões.

Sim, eu disse todas as religiões!

Você sabia que para ser um muçulmano você deve acreditar em Cristo e em todos os outros profetas que vieram antes de Maomé?

Além disso, Maria é a mulher mais citada no alcorão, no maior versículo de todos, o Al Baakara.

Não é à toa que o país abriga tantos santuários marianos bem conservados e dignos de nossa visita.

Localização

Um deles, o principal e o mais conhecido, é a Harissa- também chamada de Nossa Senhora do Líbano ou Notre Dame du Liban- que se encontra a 650 metros de altura sobre o nivel do mar e a 20 km de distancia de Beirut.

Como chegar na Harissa

Você pode chegar até lá de carro, subindo uma íngreme montanha, ou por teleférico. Muita gente tem medo do teleférico por achar que é antigo e mal conservado, eu fui em setembro de 2014 e estava tranquilo, super seguro, juro!

A vista lá de cima é de cair o queixo. Além disso, você pode aproveitar a subida para fazer uma viagem espiritual, para dentro de si. 🙂

harissa-panoramica

História de Harissa

No século IV, enquanto o Imperador Teodósio viajava de Constantinopla para estas terras, foi surpreendido, no mar, por uma tempestade. Um membro da tripulação, cristão, começou a rezar e apareceu de repente na frente deles uma grande luz que o homem indicou como Nossa Senhora da Luz. O Imperador afirmou que se se salvasse dedicaria um mosteiro. E, então, em 1908, foi construído pelo arquiteto francês Gio o santuário.

Santuário de Harissa

A estátua tem 64m de circunferência na base e 12m no topo, perfazendo um total de 20m.

Ela é de bronze pintada de branco pesa 15 toneladas. Dentro da base da estátua, há uma pequena capela onde os fiéis podem orar.

Existe ainda no santuário uma loja, uma cafeteria, uma capela e, bem ao lado da estátua, , uma catedral maronita moderna, construída de concreto  e vidro.

Curiosidade

Em 10 de maio de 1997, João Paulo II visitou Harissa.


Ainda que você não siga nenhuma religião, visitar o lugar vale a pena, nem que seja para admirar a deslumbrante vista do Mediterrâneo, das cidades de Jounieh, Beirute e demais cidades costeiras.


harissa-jounieh-teleferico-1

Uma das estações do Teleférico

harissa-jounieh-teleferico-4

Subindo! (Atenção à minha roupa. Vou comentar mais sobre a vestimenta ao final do post)

harissa-jounieh-teleferico-3

harissa-jounieh-vista-1

harissa-jounieh-vista-2

harissa-jounieh-teleferico-2

harissa-jounieh-vista-3

harissa-muculmanas

Muçulmanas visitando a Harissa

harissa-estatua-2

harissa-capela-1.jpg

Capela na base da estátua (reparem que tem pessoas usando regata…mas é tudo muito discreto)

harissa-catedral

Catedral por dentro. Era uma domingo e estava lotada! A foto tirei logo após a missa.

harissa-gruta

Fazendo pose numa gruta decorativa, bonita, porém, meio fora de contexto, lá no meio do complexo. A foto é mais para mostrar o look completo pra vocês, sobre o qual falo melhor ao final do post!

harissa-estacionamento

Estacionamento para quem vai de carro e a estação final do teleférico

harissa-loja

Um dos objetivos à venda na lojinha que fica bem ao lado das cafeterias, lá encima.

Dica Extra: Vestimenta

Com relação à vestimenta, minha dica é ir bem coberta. Aliás, a regra de estar coberta não deveria ser uma obrigação apenas para entrar nas Mesquitas mas em qualquer templo religioso.

Eu confesso que estava de biquini, já que na sequencia dalí eu ia visitar um resort que adoro, o Veer, mas por cima estava com um vestido longo (emprestado da minha irmã pois quase não uso longo) e um chale cobrindo o decote (por sorte, chale sempre me acompanha, faça chuva ou faça sol).  E tenho certeza absoluta que se eu não estivesse assim, toda coberta, eu iria me sentir MUITO mal. Aliás, teve um momento- entre fotos com go pro, fotos com celular, snapchat e etc que eu estava fazendo- em que o chale caiu dos meus ombros. Não deu nem um segundo e o segurança já veio me chamar a atenção dizendo que eu não poderia estar daquela forma naquele lugar. Constrangedor! Mas eu respeito e até concordo.

Por isso, conto aqui não apenas como dica para quando você for mas também para você ver que esse aspecto não é religioso como muitos pensam, é cultural. Independente de cristão ou muçulmano, lá considera-se mais respeitosa a mulher que anda coberta, pelo menos em locais sagrados, né? Na praia andam de biquini, em Beirut andam de curto e por aí vai.

Nesse post aqui falo mais da cultura libanesa e do povo, aprofundando um pouco mais no tema da vestimenta.


Há um outro templo mariano no Líbano, menos conhecido pelos turistas, mas que eu gosto muito, que é a Nossa Senhora do Bekaa.

 

E você poderá ver mais sobre o turismo religioso do Líbano, dividido por regiões, clicando aqui.


Texto e Fotos: Dalila Barakat


 

Confira os outros posts do Líbano

 


 

Facebook Comments

5 Comentários