Montanhas de QADISHA

Mapa de Qadisha

O Vale Qadisha  tem muitas cavernas naturais que foram usadas como abrigos no Período Paleolítico.

A caverna Aassi Hauqqa em particular, perto de Hawqa, reservou itens arqueológicos indicando que foi utilizada nos períodos Paleolíticos, Romanos e Medievais.

Desde os primeiros séculos do Cristianismo, este Vale Sagrado serviu como refúgio para aqueles em busca do isolamento.

Historiadores acreditam que o Vale Qadisha teve comunidades monásticas continuamente desde os primeiros anos do Cristianismo, abrigando os mosteiros Deir Qannubin, Deir Mar Elisha e Deir Mar Antonios Qozhaya.

É também destino também de Muçulmanos místicos,  ou Sufis, que visitavam para meditação e isolamento.

Portanto, uma região sagrada e inspiradora, que convida à meditação, desde Becharre até os Cedros, passando por estes mosteiros talhados nas montanhas.

Aliás,à medida que você vai subindo a serra, parece que está indo à caminho do céu.

Para aqueles que estiverem de coração aberto poderão sentir que o lugar é mágico.

Em 1998, a UNESCO incluiu o Vale à lista dos Patrimônios Históricos da Humanidade (World Heritage Sites) pela sua importância como sítio de alguns monastérios desde o início do Cristianismos e por seu contínuo exemplo de fé cristã.

Cavernas em Qadisha

Entrada de uma das Cavernas

Canerna em Qadisha

Entrada da Gruta Qadisha

Gruta qadisha\

Qadisha Caves

Al Rashied Qadisha

 

Na visita ao mosteiro, é possível aprender sobre a vida de Santo Antônio e sobre a Igreja Maronita (em referência a São Marun, monge eremita do século 4º), predominante no país.

Diariamente, há orações e litanias, e, aos domingos, são celebradas cinco missas.

Outros santos importantes são Nimatullah al-Hardini e Santa Rafqa.

Ao lado do mosteiro, há uma gruta à qual se atribuem propriedades curativas.

O museu do local expõe, além de objetos religiosos, quadros e instrumentos agrícolas antigos, a primeira prensa gráfica do Oriente (do século 16) e o primeiro texto impresso, o “Livro dos Salmos”, em caracteres siríacos.

Wadi Qozhaya em direção à cidade de Ehden

Wadi Qozhaya em direção à cidade de Ehden.

Monastério Qadisha Qozhaya

Monastério Qadisha Qozhaya

Mar Elisha Qadisha

Monastério Maronita

Monastério Maronita – O Corredor de ligação entre os quartos do Monges e as demais áreas foi projetado e construído em forma de Labirinto. O ato de caminhar pelo Labirinto é uma maneira substitutiva de Peregrinação, sendo que ao atingir o Centro é o equivalente a alcançar a cidade Santa de Jerusalém ou a Harmonia Divina.
(Créditos: Jorge Raif Zalaf)

 

Como Chegar ao Vale Qadisha 

Como já disse em posts anteriores, minha sugestão é alugar um carro e andar com um mapa na mão (GPS não funciona direito lá, já que as ruas não tem nomes e nem números, é tudo por pontos de referência).

Ou, contrate um motorista. A diária varia em torno de U$40 a U$90, dependendo da kilometragem percorrida e do período, mas vale muito a pena pois eles conhecem os caminhos e falam bem a língua.

Em última hipótese vá de excursão, mas eu -particularmente- não gosto!

Prefiro ir com meu próprio grupo porque aí dá para comer na hora que quer, tirar foto na hora que quer e etc, mas isso vai de gosto, né?

O Vale Qadisha fica a 110 km da Capital.

  • Saindo de Beirut, você vai sentido Norte pelo túnel Nahr el Kalb, pega a auto-estrada até Chekka, sul de Trípole, e depois vire para Amioun.

De lá as estradas passam pelo lado de Kadisha Gorge até Kousba, Tourza, Hadeth el Jebbeh e, finalmente, Qadisha.

  • Outra opção de percurso eu descrevi neste post de como chegar aos Cedros, já que é o mesmo caminho.

Há muitos grupos que vão até lá para fazer trecking!

Eu não fiz ainda mas deve ser incrível e está na minha lista. 🙂 Vou procurar saber quais as empresas mais confiáveis e volto aqui para contar pra vocês.

Mapa Vale Qadisha 2

Outro mapa para te ajudar a se localizar quando for à Qadisha e não perder nenhuma atração interessante. 🙂

Wadi Qannoubin

 

Gostou do post? Comente no final da página. Sua opinião é muito importante pra gente! 🙂

 


Confira todas nossas dicas e histórias do Líbano 

 


Facebook Comments

4 Comentários