1ª Mostra de Cinema Egípcio acontece no CCBB São Paulo de 29 de março a 10 de abril

O Centro Cultural Banco do Brasil promove, de 29 de março a 10 de abril de 2017, a “1ª Mostra de Cinema Egípcio Contemporâneo – Especial Mohamed Khan”, em São Paulo.

Mostra-de-Cinema Egípcio

Na Mostra de Cinema Egípcio serão exibidos 12 longas-metragens dirigidos por Mohamed Khan (1942-2016), considerado um dos fundadores do Neorrealismo no cinema egípcio e um dos mais premiados do país.

Defensor das causas femininas e conhecido pela direção de filmes polêmicos e que abordam temas de interesse social como o preconceito, o adultério e o esgotamento dos grandes centros urbanos. Com a sua produção, denunciou a opressão sofrida pelas mulheres egípcias e o desejo de combater os males sociais.

Apesar das recentes conquistas sociais obtidas por diversos países árabes ao redor do mundo, ainda se pode verificar muitas injustiças, arcaísmos e discriminação de gênero. Nesse sentido, Mohamed Khan foi arrojado e enfrentou, ao longo de sua carreira, muita resistência e grandes barreiras por abordar questões tão delicadas na cultura árabe, em especial a egípcia.

Além das questões sociais e de direitos humanos, Mohamed Khan levou para as telas o dia-a-dia, as experiências, as conquistas, o sofrimento, o amor e a fúria da sociedade egípcia. Fazendo uso frequente de movimentos de close up, que marcam sua cinematografia.

Mohamen Khan (1942-2016), diretor de cinema egípcio, filho de pai paquistanês e mãe ítalo-egípcia, é considerado um dos fundadores do Neorrealismo Egípcio nos anos 1970 e 1980.

Estudou cinema em Londres na The London International Film School no início dos anos 1960. Foi diretor-assitente no Líbano nesse período em 1962-63 e, posteriormente e em Londres, onde publicou a seminal obra “Introduction to the Egyptian Cinema” [Introdução ao Cinema Egípcio] em 1969.

A maior parte de sua produção, porém, foi realizada no Cairo para onde mudou-se em 1977, tratando de temas sociais, da vida cotidiana da metrópole árabe e, sobretudo, a vida feminina em meio à sociedade patriarcal local.

São contabilizados 11 curtas e 24 longas-metragens em quase 50 anos de carreira.

Em 2014, quando recebeu a cidadania egípcia, seu penúltimo filme, “Factory Girl” (2013), foi indicado pelo Egito para a categoria de melhor filme estrangeiro para o Oscar.

Mostra-de-Cinema Egípcio-menina-de-fabrica

Mostra-de-Cinema Egípcio-antes-do-verao

Filmes e sinopses: 

1. Menina da fábrica (“Factory Girl”).

Egito. 2013. Direção: Mohamed Khan. Com: Yasmin Raeis, Hani Adel, Salwa Khattab. 85 min. 12 anos. Hayam é uma operária que vive em uma área de classe média-baixa, juntamente com outras meninas da fábrica. Interessada pelo novo supervisor da fábrica, apesar das diferenças de classe entre eles, percebeu que seus sentimentos estavam sendo retribuídos. Mas a cruel realidade vem à tona quando um teste de gravidez é encontrado na fábrica. Todo mundo a acusou de ser uma pecadora, até mesmo seus amigos e familiares. A menina da fábrica não quis se defender e isso a fez pagar um grande preço lidando com uma sociedade que não aceita mulheres orgulhosas.

2. Antes do verão (“Before the Summer Crowds”).

Egito. 2015. Direção: Mohamed Khan. Com: Maged El Kedwany, Hana Shiha, Ahmed Dawood, Lana Mushtaq e Hany El Metennawy. 89 min. 12 anos. Sinopse: é uma história que se passa na costa egípcia, cujos personagens são o médico Yehia (Maged El Kedwany) e sua esposa Magda (Lana Mushtaq), um casal separado, Hala (Hana Shiha), a vizinha de cabine, tradutora profissional e mãe recentemente divorciada de dois, e Gomaa (Ahmed Dawood), o jardineiro. Nesse manifesto satírico, Mohamed Khan nos oferece um filme que pode acontecer em qualquer lugar do mundo, e é igualmente muito distintamente egípcio.

3. Klifety (“Klephty”).

Egito. 2004. Direção: Mohamed Khan. Com: Bassem Samra, Khairy Beshara, Rolla Mahmoud, Ahmed Rashwan. 100 min. 12 anos. Sinopse: nesse drama independente, um dos primeiros feitos com câmera digital no cinema de língua árabe, Khan retrata o cotidiano de um homem que se vira na vida difícil com malandragem. Ele se relaciona com uma adolescente, mas não consegue salvar a relação.

4. Meninas do centro (“Downtown Girls”).

Egito. 2005. Direção: Mohamed Khan. Com: Khaled Abol Naga, Hend Sabry, Menna Shalabi. 85 min. 12 anos. Sinopse: o filme gira em torno da história de duas meninas que vivem no centro do país, local onde se concentram muitos contos e muitas relações sociais. Uma delas trabalha como estilista e a outra como vendedora em uma loja de roupas.

5. Encontro no jantar (“An Appointment for Dinner”).

Egito. 1981. Direção: Mohamed Khan. Com: Souad Hosny, Ahmed Zaki, Hussein Fahmy, Zouzou Mady, Khairy Beshara. 82 min. 12 anos. Sinopse: Nawal, uma dona de casa desesperada e negligenciada que pede o divórcio e, ao mesmo tempo, se apaixona pelo estilista Shokri. Quando seu marido descobre, ele procura a vingança matando seu amante, mas ela não vai deixar barato.

6. Cavaleiro da cidade (“Fares al-madina”).

Egito. 1992. Direção: Mohamed Khan. Com: Mahmoud Hemida. 112 min. 12 anos. Sinopse: um homem de negócios tenta conseguir, em somente cinco dias, 5 milhões para pagar um grande criminoso.

7. Dias de Sadat (“Ayyam El-Sadat”).

Egito. 2001. Direção: Mohamed Khan. Com: Ahmed Zaki, Mervat Amin, Mona Zaki, Ahmed El Sakka. 168 min. 12 anos. Sinopse: é um filme biográfico do presidente egípcio Anwar Al Sadat. Atuando no papel principal de Sadat, o ator Ahmad Zaki foi consagrado e reconhecido pela crítica em uma de suas maiores performances. Foram capturados detalhes íntimos, e com grande precisão, do presidente egípcio, assassinato em 1981. Uma característica notável de Sadat era o seu padrão de fala, desempenhada com grande estilo nessa atuação. O filme inclui, além de Ahmad Zaki, vários atores proeminentes do Egito. Quando o filme foi lançado, atraiu um grande número de seguidores, classificando como um dos filmes de maior bilheteria do país.

8. Um dia muito quente (“Youm har giddan”).

Egito. 1994. Direção: Mohamed Khan. Com: Sherihan, Mohammad Fouad, Mahmoud Hemida. 91 min. 12 anos. Sinopse: a descoberta de uma insuspeita traição em um casamento egípcio. Gharib, depois de ficar fora por oito anos, retornou ao Egito para passar férias. Naquele dia muito quente, enquanto estava conversando com um amigo em um telefone público, viu uma menina bonita ter sua bolsa roubada. Gharib perseguiu o ladrão e pegou a bolsa, mas não conseguiu encontrar a garota. Após encontrar seu nome e número dentro da bolsa ligou para o número e um empresário chamado Diaa respondeu à chamada.

9. Sonhos de Hind e Camilia (“Dreams of Hind and Camilia”).

Egito. 1989. Direção: Mohamed Khan. Com: Ahmed Zaki, Naglaa Fathi e Aida Reyad. 109 min. 12 anos. Sinopse: Conta a história de duas mulheres de classe média baixa tentando sobreviver com seus sonhos no Egito dos anos 1980. A bela viúva Hind e a divorciada e independente Camilia enfrentam muitas dificuldades juntas e lutam contra as terríveis circunstâncias da vida.

10.  Saiu e não voltou (“Gone and Never Came Back”).

Egito. 1984. Direção: Mohamed Khan. Com: Yehya Al-Fakharani, Laila Alwi, Farid Shawqi. 94 min. 12 anos. Sinopse: empregado no departamento de arquivo ministerial, um jovem que mora num subúrbio pobre do Cairo  está  à procura de uma nova vida. Por motivos pessoais, ele decide voltar para o campo para vender uma terra que possui, e lá a sua vida vai mudar.

11. A esposa de um homem importante (“The Wife of an Important Man”).

Egito. 1987. Direção: Mohamed Khan. Com: Ahmad Zaki, Mervat Amin, Abdel Halim Hafez, Hassan Hosny, Zizi Mustafa,  Nahed Samir. 109 min. 12 anos. Sinopse: Mona, casada com um decente oficial de polícia chamado Hisham, pensa ter encontrado o amor verdadeiro. Após alguns anos de casada, descobre que seu marido é uma pessoa totalmente diferente daquela que ela amava. Por esse filme, Mohamed Khan recebeu o Prêmio de Prata no Festival de Cinema de Damasco em 1987. Foi exibido no Festival Internacional de Moscou em 1987. Também foi exibido em Montreal, Valência, Tetouan, Digne, Istambul e outros Festivais de Cinema entre 1987 e 1988.

12. A volta do cidadão.

Egito. 1986. Direção: Mohamed Khan. Com: Mervet Amin, Yehia Al-Fakharany, Ahmed Abdel Aziz, Magda Zaki, Sherif Mounir, Ibrahim Yousry. 100 min. 12 anos. Sinopse: Depois de trabalhar por muitos anos em Doha e fazer fortuna, Shaker retorna para sua família no Egito e encontra seus irmãos e irmãs em crise.


 Evento: “1ª Mostra de Cinema Egípcio Contemporâneo – Especial Mohamed Khan”

Período: de 29 de março a 10 de abril de 2017

Local: Centro Cultural Banco do Brasil – CCBB SP 

Rua Álvares Penteado, 112 – Centro – São Paulo

Próximo às estações Sé e São Bento do Metrô

Informações: (11) 3113 3651

Ingressos: R$ 10,00 (meia R$ 5,00) 

Funcionamento da bilheteria: das 9 às 21h, de quarta a segunda

Programação: http://culturabancodobrasil.com.br/portal/1a-mostra-de-cinema-egipcio-contemporaneo

Mostra-de-Cinema Egípcio-programacao


Texto e Fotos: divulgação


 

Facebook Comments

Sem Comentários