Os mais belos, os mais altos e os mais modernos edifícios dos Emirados Árabes Unidos fascinam qualquer um, mas, passear pelo deserto é a melhor maneira de se sentir como um árabe em suas raízes. Algo que somente lá você poderá fazer!

A maioria dos hotéis têm parceria com as empresas que fazem o safari, então, você pode solicitar o passeio através do concierge, através de alguma agência de viagem de lá ou, antecipadamente, conosco! 🙂 

 


Quando

O passeio ocorre todos os dias da semana. Existe a opção de pernoitar ou de passar apenas o dia. Eu optei pelo dia.

O transfer te busca no hotel pro volta das 15h, você leva cerca de 40-60 min para chegar ao local e, então, o passeio começa por volta das 16h. Ao chegar no local você troca de carro para um 4×4 mas não pense que irá sentir muita adrenalina, é emoção nível médio. rs Nada comparado aos passeios de buggy pelas dunas do Nordeste Brasileiro mas ainda assim é algo típico e, portanto, emocionante!


O Safari

Após cerca de 45 minutos de safari, os motoristas param o 4×4 no meio das dunas para assistirmos ao belo pôr do sol. Eu já vi muitos homens muçulmanos rezando, já que nasci numa família muçulmana, inclusive lembro bem que quando eu tinha 8 anos e fui à Disneyland, na California pela primeira ez, um dos meus primos correu para o estacionamento para rezar antes de entrarmos no parque!  Mas, olha, a cena do meu motorista indo rezar no meio da dunas foi também indelével. Uma das mais lindas que já vi. Eu achei que ele estava caminhando pra longe para tirar uma boa foto ou para sei lá o que mas de repente ele começa as genuflexões. WOW. A fé de um ser humano, seja ela qual for, é de se admirar, não, é? 🙂

A areia de AD é bem branquinha e fininha, enquanto do deserto de Dubai é mais alaranjada e mais espessa. Mas o passeio é praticamente o mesmo, com excessão daquele que pernoita que eu não fiz (ainda) por isso não posso dizer com detalhes pra vocês.

Bom, mas aí depois do pôr do sol nós voltamos ao 4×4 e paramos até um acampamento onde tem alguns beduínos nos esperando com café árabe. 😀


O Jantar

Enquanto o jantar está sendo preparado, pode-se fazer um curto passeio de camelo (o valor já está incluído no pacote), mas eu optei por apenas tirar uma foto com eles, tadinhos. Sei lá, já andei a camelo no deserto do Egito por horas mas andar (ou camelar) é uma coisa, dar 2 voltinhas sem graça alí, embaixo daquele calor, é outra…não quis. Posso estar enganada, mas acho que judia mais deles, o que você acha? Enfim, pra quem nunca andou pode ser legal essa experiência. Há também a opção de fazer um “skibunda“, mas não vi ninguém fazendo. Eu adoroooo, mas quem aguenta subir aquelas dunas à pé sob aquele sol? Não rolou. :S

O jantar é um buffet típico com churrasco árabe, salada, tâmaras, café, servido a céu aberto entre as tendas. (aii, bateu saudades agora!). A decoração do local é rústica,  imitando o  estilo de vida das tribos beduínas da região.

Depois da comida tem arguile (ou shisha), pra quem quiser, e tatoo de henaa para as mulheres. Cuidado, essa hena dura uma semana na pele ou você tem que esfregar muuuito para sair antes, mas é bem bonita e mas moças fazem desenhos lindos em segundos.

Ao final de tudo ainda tem apresentação de shows artísticos com música árabe incluindo dança do ventre e outras danças típicas. No dia que eu fui infelizmente não teve porque o filho do sheikh havia falecido bem naquele dia e o país inteiro ficou de luto por 3 dias. E durante o luto não deve ter dança e nem música. Mas os amigos que já foram adoraram essa parte.

Bom, mas o ponto auge mesmo foi quando eles apagaram todas as luzes e ficamos em silencio por alguns minutos, só nós e as estrelas. Sabe aqueles instantes em que 1 minuto vale 1 vida? Então, pra mim foi assim! S2


O Que Vestir

Confesso que fiquei muito na dúvida do que vestir. Como os jantares árabe que vou são sempre muito chiques e este tinha areia no meio, fiquei em conflito. Mas acabei acertando em cheio. Fui com roupa leve, uma regata, uma bermuda, uma sapatilha e um lenço na cabeça para proteger do sol. Aliás, esse lenço é MARA e comprei no Dubai Mall. Tá lá no meu IG o nome da loja, só lenços diferentes, amei amei, caríssimo (U$ 200 dólares) mas uma super aquisição.

Bom, recomendo, então, roupas leves. Para as meninas shorts não muito curto (tudo bem que é um passeio super turístico e eles estão já acostumados, mas não precisa chamar a atenção deles, né?), bermuda, camisa/eta leve e sapatilha ou sapatênis. Nas dunas andei descalça mesmo, para não encher meu sapato de areia e porque é mais confortável. Se você não for andar de camelo e não se importar em sentar no chão de vestido, pode ir com um vestidinho ou até com uma legging. À noite fica mais fresquinho, o lenço que estava na minha cabeça me protegendo do sol acabou indo pros braços, me protegendo do vento.

Os homens podem ir também de bermuda ou jeans, tênis ou sapatênis e camisa/camiseta. Nada muito chique porque é rally! Mas nada muito praia, chinelo porque afinal é deserto e é um país árabe onde a regra é andar coberto. Aliás, você pode ir com uma vestimenta típica também, por que não? Se for manda foto pra gente depois! Vou adorar ver.


Com Quem

Utilizamos o serviço da empresa Sunshine Tours, indicada pelo Le Meridien Hotel. São muito profissionais, eu recomendo. Meu motorista foi o Kadeem (esse da foto), um sírio que mora nos EAU há muitos anos e que adora encontrar outro árabe como eu. Ficamos próximos desde quando fiz o telefonema para agendar (e negociar! kkkk). No final, ele acabou me oferecendo o passeio em parceria.

O valor é aproximadamente para o Half Day Safari: AED 275.

Se tiver interesse, deixe um recado aqui abaixo- nos comentários- ou por email, que eu passo o contato dele(s), ok?

roteiro-abu-dhabi-safari-carro-3

Eu e Khadem, o sírio, gerente de operações da empresa, muito gente boa.

roteiro-abu-dhabi-safari-carro-1

roteiro-abu-dhabi-safari-reza

Khadem, o gerente da empresa e motorista do nosso 4×4 rezando em direção à Meca (onde o sol nasce).

roteiro-abu-dhabi-safari-2

roteiro-abu-dhabi-safari-dalila

Proteção do sol na cabeça, roupas leves e descalça! Melhor outfit pro deserto, ever!

roteiro-abu-dhabi-safari-sunset-3

E não é que tinha uma vegetação perdida alí no meio do deserto? 😀

roteiro-abu-dhabi-safari-sunset-4

Pôr do Sol incrível!

roteiro-abu-dhabi-safari-camelo

Camelo fofo, porém, cansado tadinho. Vale mais a pena fazer um passeio de camelo de verdade, do que dar uma ou duas voltinhas ali, mas respeito quem nunca tenha feito e queria aproveitar essa oportunidade para passar pela experiência. É que dá dó deles! Parece que estão ali como um objeto para o turista, sabe? Quando você for você vai me entender.

 

roteiro-abudhabi-safari

Defendi tanto e ainda faz tipo quando vou dar beijinho, é, mole? 😛

safari-desert-beduino

Um beduíno muito simpático (sqn) servindo um delicioso (sqn) café árabe. Normalmente nas minhas viagens eu conheço somente pessoas muito legais e receptivas, assim como eu (rs), mas esse beduíno aí, brinquei com ele, gravei ele, falei em árabe mas parecia uma porta. rs Enfim… valeu a foto. :p

safari-deserto-abudhabi

Acampamento com algumas mesas, banheiro, jantar e shisha (argüile) para o grupo.

safari-abu-dhabi-jantar

Decoração rústica, a base de almofadas, mesas de madeira e tapetes.

safari-desert-jantar

Comida nota 7,5. Not bad. Tinha o típico e o básico de um churrasco árabe.

roteiro-abu-dhabi-safari-henna

Tatoo de Hena, dura uma semana.

 

Através das fotos já dá pra saber se vale a pena o passeio ou não, né? 😀


Confira aqui quais são os outros 4 passeios imperdíveis em Abu Dhabi!

E, para um roteiro totalmente personalizado, entre em contato conosco que elaboramos para você.

 


Texto e Fotos: Dalila Barakat

Passeio apoiado #ap


 

Facebook Comments

10 Comentários

  • Responder
    19/12/2015

    Uau, cinematográfico!!!

    • Responder
      19/12/2015

      hehehe Obrigada, queridão.
      Vocês precisam ir pra lá fazer umas fotos cinematográficas também, hein? Imagina que arraso você de beduíno, ou melhor, de sheikh árabe? 😀
      Bjs.

  • Responder
    geraldo
    26/03/2017

    gostaria de fazer um turismo privativo no deserto para conhercer vida dos beduinos sem jantar.