O título é 1001 Dicas de Paris porque toda vez que visito essa cidade encontro novos lugares interessantes pra inserir na lista, portanto, esse post será atualizado com frequência, eu espero. 😀

 

Vou começar pelos primeiros lugares que conheci, quando fui em 2006, e que gosto de voltar a cada visita. São eles:

 


1- SUBIR NO ARCO DO TRIUNFO 

Da última vez que fui à Paris, janeiro de 2018, descobri pelo meu instagram que muita gente não sabia que é possível subir no Arco do Triunfo, que tem um museu lá dentro e que a vista lá de cima é maravilhosa.

Acompanhe pelas fotos abaixo o passo a passo de como faz para subir lá e seja feliz! 😀

 

 


2- DESCER NA CRIPTA DA NOTRE DAME 

A cripta arqueológica de Paris é um museu que fica localizado na Île de la Cité, na parte subterrânea do Átrio da catedral Notre-Dame. Mas atenção porque está a mais de 1km de distância da entrada principal da catedral, eu a encontrei a primeira vez “por acaso” e notei que muitas poucas pessoas sabem dela ou entram nela. E a entrada dela é, então, à parte.

Nesta cripta, você poderá descobrir uma série de testemunhos de mais de 2000 anos de história: da Antiguidade aos tempos modernos.

Dentre os vestígios mais impressionantes da Cripta Arqueológica da Notre-Dame de Paris, você poderá descobrir o cais da antiga cidade de Lutèce, o muralha que permitia, no início do século 4, proteger a população local contra as invasões bárbaras e, mais tarde, os restos de uma antiga rua medieval ou do Hospice des Enfants-Trouvés, um orfanato do Renascimento.

Eu amei a energia desse lugar, fiz a visita sem pressa, acho que fui em 2006, e faria novamente.

 


3- SE PERDER NA CARTIER LATIN

Bairro mais bucólico de Paris, com aroma de poesia.

Os maior escritores e poetas franceses passeavam por aqui, e passavam horas nos cafés deste bairro.

É onde se encontra também a universidade Sourbone portanto não será raro você ver muitos jovens por ali, tanto nas livrarias como nos 1001 restaurantes de todos os tipos e um excelente preço!

Aliás, a dica para COMER BEM E BARATO é aqui: Cartier Latin e os bairros Saint Michel e Saint Germain. Um ao lado do outro.

Essa primeira foto é a estátua de Saint Michel, a primeira cena que vi na primeira vez que fui a Paris, portanto, muito simbólica pra mim.

Saint Michel é o padroeiro da França, você irá vê-lo em muitos lugares, assim como Saint Nicolas na Alemanha ou Saint Charbel no Líbano.

Achei linda essa cena e tirei umas 500 fotos do rapaz de boina lendo um livro, sem pressa, em frente a livraria chamada Shakespeare and Company.

Há diversos tipos de restaurantes desde grego, libanes, tailandes, chines, frances, enfim, para todos os gostos.

A maioria oferece mesa para sentar como também o take away.

A caverna Caveau de la Huchette ,apesar deu tê-la descoberto em 2017,  é datada do século XVI.

O design é comparado a uma adega ou labirinto e dizem já ter sido usada por rosacruzes e por pessoas ligadas à Maçonaria

E desde 1949, se tornou um clube de jazz, o melhor e mais animado JAZZ da cidade, onde, pasmem, as pessoas dançam a dois! Como na dança de salão. E eu obvio que ameiiii.

O Café de Flore é um café situado na esquina do boulevard Saint-Germain com a rua Saint-Benoît, no bairro de Saint-Germain-des-Prés.

É famoso por ter sido frequentado por importantes intelectuais e artistas ao longo da história, como Joris-Karl Huysmans, Remy de Gourmont, Charles Maurras, Georges Bataille, Robert Desnos, Léon-Paul Fargue, Raymond Queneau, Jean-Paul Sartre, Albert Camus, Pablo Picasso e Zhou Enlai.

 


4- EXPLORAR a OPERA GARNIER e as GALERIAS LAFAYETE

A visita guiada na Opera Garnier é absolutamente imperdível.

Foi ali que aconteceu o Fantasma da Opera, o guia mostra onde caiu o grande abajour, qual era o camarote do Fantasma, entre outras lendas e historias reais incríveis.

Você pode ir até a Opera, reservar seu horário e, nesse meio tempo, passar algumas horas explorando as Galerias Lafayette, que ficam bem em frente.

Não pode deixar de visitar o último andar onde está o roof top com mais linda vista da cidade, agora sob outro ângulo.


5- RESPIRAR A PLACE DES VOGES

Para quem gosta de arte e de historia, essa é a primeira praça que achei me perdendo e nela me encontrei.

Place des Voges reflete o aroma da Revolução Francesa, mas não é ar ou cheiro de guerra, e sim da revolucao que marcou a historia não só do país como a do planeta.

 


 

Comentários do Facebook

Um Comentário