O que é a Hidroterapia

 

Hidroterapia, do grego hydro, “água” e therapeia, “cura”, portanto, cura através da água.

Água é um dos meios de cura, um veículo de calor ou frio para o corpo.

Aplicada ao corpo, opera modificações que atingem, em primeiro lugar, o sistema nervoso.

O qual, por sua vez, age sobre o aparelho circulatório, produzindo efeitos sobre regularização do calor corporal.

As reações da aplicação da água são portanto, três: nervosa; circulatória e térmica.

 


Origem da Hidroterapia

 

O valor da água na vida é reconhecido praticamente por todas as culturas.

Inicialmente, os médicos egípcios – que eram também sacerdotes, astrônomos e artistas – já atribuíam grande importância a diversas medidas de higiene relacionadas com a alimentação, vestuário, ginástica e aplicações hidroterápicas.

A prática da hidroterapia também é indicada por vestígios de instalações de higiene proto-indianas (2500 a.C.) e dos banhos caldeus.

A noção de que água integra a composição do corpo humano e da terra ocorre simultaneamente nas civilizações orientais da China e Índia. Segundo essas culturas, tudo o que existe resulta de uma relação entre os cinco elementos: água, ar, terra, fogo e éter (na Índia) ou madeira (na China).

Enquanto os gregos reconheciam apenas quatro elementos (água, fogo, terra e ar).

Sítios arqueológicos gregos incluem locais de banhos e há numerosas referências às virtudes curativas da água.

Nos cantos homéricos (1000 a.C.) fala-se de ritos de purificação com água, que precediam a entrada no templo de Esculápio (ou Asclépio), o deus grego da medicina.

Por volta de 500 a.C., os templos de Asclépio situavam-se perto de fontes e incluíam locais de banho.

Píndaro (518-446 a.C.) dizia que “a água é o que de melhor existe”.

Já Pitágoras (530 a.C.) recomendava a seus discípulos os banhos frios e a dieta vegetariana, juntamente com algumas ervas medicinais e a ginástica.

Hipócrates de Quíos (460-377 a.C.), por sua vez, fez amplo uso da hidroterapia, destacando a desintoxicação do organismo, através da pele.

Muitos dos procedimentos hidroterápicos fundamentais, como vapores, compressas úmidas com água doce ou salgada e mel ou azeite, ainda em uso, já eram utilizados por Hipócrates.

As mulheres dos antigos macedônios banhavam-se com água fria, após o parto (norma higiênica e de prevenção de hemorragia pós-parto).

Os escritos de Cícero, César Augusto, Horácio, Plínio o Velho e sobretudo de Aulo Cornélio Celso e Galeno mostram como as práticas hidroterápicas (irrigações, ingestão, duchas, banhos), muitas vezes aprendidas dos médicos gregos, tornaram-se importantes para os romanos e se desenvolveram através da difusão das termas, os locais destinados aos banhos públicos, e de instalações balneárias.

A medicina romana manteve o tratamento com água aquecida/resfriada.

Os banhos públicos podiam ter diversas finalidades, entre as quais a higiene corporal e a terapia pela água dotada de propriedades medicinais.

Com a decadência do Império Romano perderam-se os vestígios dessas práticas nos séculos seguintes.

Em 313 na cidade de Milão, Constantino, Imperador romano do Ocidente e Licínio, Imperador romano do Oriente preparam um documento enviado a todos os governadores das Províncias, onde se consagra o princípio da liberdade religiosa e/ou proibição do paganismo e segundo alguns autores inclusive dos banhos públicos ou termas.

No período otomano as termas juntamente com as saunas eram e ainda são amplamente utilizada por sutãos e sultanas.

Os locais onde se praticam essas intervenções são designados por Balneários, Termas, Casas de Banho, Estâncias Termais ou Hidrominerais e Caldas.

Diversas cidades ao longo do século XIX e XX foram assim designadas no processo.

No Brasil, a hidroterapia surgiu como prática da nobreza, com a transferência da corte portuguesa para o Brasil (1808-1821).

Segundo Quintela, 2004 (o.c.) foi durante o século XIX que nasceram e se desenvolveram as práticas termais em espaços institucionalizados pela medicina brasileira.

No Formulário ou Guia Médica de Pedro Napoleão Chernoviz (1864) consta uma série de estâncias hidrominerais do Brasil, com detalhada descrição das propriedades físico-químicas de suas águas e suas indicações médicas para determinadas moléstias.

O curismo, porém, tardou a fomentar a prática dos banhos de mar no Rio Grande do Sul, onde os primeiros indícios de vilegiatura marítima datam do último quartel do século XIX associado a migração alemã.

Nesse último caso sem dúvida associado a relevância e difusão dos trabalhos de Sebastian Kneipp (Bavaria, 1821 – 1897); Louis Kuhne (Leipzig 1835 – 1901).

 

Termas Romanas

 


Água fria

Com o uso da água fria, seja imersão ou não, o sistema nervoso sensitivo é estimulado e melhorado nas suas funções, produzindo, no indivíduo, uma sensação de bem estar, e a pessoa se sente reanimada, alegre disposta para o trabalho.

Além disso, o sistema nervoso recupera o seu tom e, por isso, pode-se dizer que a água fria é um tônico para o sistema nervoso.

A aplicação de água fria ao corpo ao mesmo tempo tonifica e sedativa, regulariza as funções nervosas e é indicada também na luxação.

 


Água quente

Há fortes indicações de que os asiáticos começaram e difundiram a prática do uso de água quente, em aproximadamente 2.400 aC.

Ofurô é um tipo de banheira feita no Japão para o usuário tomar banho com temperatura da água entre os 36 e 40°C.

No Brasil, o clima predominante (tropical) não permite temperaturas tão elevadas, então, deve-se realizar a hidroterapia em torno de 30 °C e 32 °C.

A banheira do ofurô é caracterizada pelo seu formato bem mais profundo e curto do que uma banheira ocidental, permitindo a seu usuário tomar banho com o corpo em posição fetal.

Seu maior benefício é a limpeza de pele e descontração muscular.

Comumente, essas banheiras são feitas em madeira (no Brasil, a mais utilizada é o cedro-rosa).

 


Contraste de água fria com água quente

Segundo os naturopatas, o banho quente seguido de água fria (contraste) está associado à efeitos vasculares e condicionamentos da hemodinâmica.

Alguns autores consideram que a saúde depende da manutenção no corpo de um equilíbrio térmico.

E de fato, os benefícios dos banhos de imersão para a saúde são muito grandes.

Aqui elenco alguns, mas ao final da matéria, detalho todos eles.

Além do relaxamento, destacam-se também a limpeza de pele; o reequilíbrio hormonal – pelo estímulo glandular causado pela água aquecida e a desintoxicação muscular.


Ofurô e Escalda pés

Ofurô do Spa Med Sorocaba Campus em dezembro de 2019

 

Ofurô do Spa Med Sorocaba Campus em dezembro de 2019

 

 


Terapia de Kneipp

 

Essa pista de caminhada na água, do SPA MED SOROCABA, é baseada no Método Kneipp que sugere uma alternância de banho com água fria e água quente (banho de contraste).

Esse método traz benefícios para a pele, favorece a circulação do sangue no corpo, e serve como estimulante vital, capaz de eliminar toxinas e de fortalecer o organismo.

De acordo com Kneipp, as doenças aparecem quando a energia vital do homem é prejudicada através da má alimentação e de uma postura inadequada da vida, então, a finalidade desse tratamento é resgatar a saúde através de métodos naturais curativos.

A terapia de Kneipp é um sistema médico natural baseado nos seguintes pilares:

 

  • Hidroterapia — utilização controlada de jorros de água lançados sobre diferentes partes do corpo, como os braços, joelhos e torso.

A aplicação varia com o tipo de afecção, alternando diferentes temperaturas (fria, tépida ou quente) conforme o propósito curativo.

Recomendava caminhadas com os pés descalços sobre ervas molhadas pelo orvalho matinal, entre várias técnicas destinadas a fortalecer o sistema imunológico, fazendo reagir o corpo mediante a regulação da sua temperatura.

 

  • Terapia nutricional — recomendava moderação no consumo de álcool e de açúcar e a preferência por uma alimentação naturista, composta de abundante fruta e verdura, além de um escasso consumo de carne.

 

  • Exercício físico — acreditava que a a vida é movimento, pelo que os tratamentos incluíam exercício físico diário, como a ginástica, as caminhadas ou a escalada de montanhas.

 

  • Fitoterapia — indicava o uso de diferentes plantas e ervas medicinais para os diferentes males.

 

  • Espiritualidade — Kneipp acreditava que uma mente sã conseguia um corpo saudável e relaxado.

 

https://www.instagram.com/tv/Bv6vEbmHt_-/?igshid=1lfkocisb8ew2

 


Fisioterapia Aquática

 

Geralmente, a fisioterapia aquática, também chamada de aquaterapia ou hidroterapia, é feita por um fisioterapeuta.

Ela é muito utilizada por gestantes e idosos porque ajuda no tratamento de:

Artrite, artrose ou reumatismo; problemas ortopédicos, como fraturas ou hérnias discais; lesões musculares; dores articulares;
inchaço nas pernas; dificuldade respiratória e problemas neurológicos.

A hidroterapia para gestantes deve ser indicada pelo obstetra e, normalmente, é usada para melhorar a circulação do sangue, além de reduzir o inchaço das pernas e diminuir a dor nas costas, pés e joelhos.

 


Hammam

 

Hamame, hamam ou amã (do árabe حمّام; “água quente”), também conhecido como banho turco, banho a vapor ou sauna a vapor, é um tipo de banho que consiste em permanecer em um ambiente quente e cheio de vapor.

Após algum tempo nesse ambiente, o banhista mergulha em ou se molha com água fria ou quente.

A transpiração abundante ajuda a eliminar as impurezas do corpo e é particularmente benéfica para as pessoas que têm retenção de líquidos.

No entanto, o banho a vapor não é recomendado a quem tem pressão alta, doenças cardíacas ou distúrbios de circulação.

O hammam difere da sauna seca, de origem finlandesa, já que nesta, o ambiente é seco e bem mais quente.

Eu gosto bem mais da úmida, costumo ficar 25 minutos direto, às vezes até mais, enquanto na seca não fico mais do que 10 min.

lemeridien-abudhabi-spa2

O melhor hammam que já visitei não foi nem na Turquia, mas em Abu Dhabi, em dezembro de 2015.

 


Benefícios da Hidroterapia

 

O primeiro benefício da hidroterapia é a ativação da circulação sanguínea. O processo com a contração e dilatação de vasos estimula o sangue a percorrer as veias e artérias de forma mais eficiente.

Outro é a inibição de processos inflamatórios. Ao mobilizar os depósitos de sangue que se encontram na medula óssea e no baço, ocorre uma ativação de glóbulos vermelhos e brancos, sendo que esses últimos são peças-chave para o bom funcionamento do sistema imunológico.

Ao fortalecer o sistema imunológico, a hidroterapia contribui para o tratamento de todas as doenças.  Não estamos afirmando que essas técnicas fazem isso de fora isolada. No entanto, elas oferecem oferecem benefícios inegáveis e potencializam os efeitos de um estilo de vida saudável.

Mas há outros sistemas igualmente beneficiados pela hidroterapia. Veja a seguir:

Sistema cardiovascular

A hidroterapia é uma grande aliada no tratamento de problemas cardiovasculares, que estão entre as principais causas de morte.

O mecanismo de vasoconstrição e vasodilatação estimula a circulação, facilitando o trabalho do coração no bombeamento do sangue.

Como consequência, o tratamento reduz a pressão arterial, sendo indicado para hipertensos.

Sistema nervoso

O sistema nervoso é outro aparelho beneficiado diretamente pela hidroterapia. Ao alternar temperaturas extremas, ou seja, o banho muito frio intercalado com o muito quente, ocorre uma excitação do sistema nervoso simpático.

Além disso, os tratamentos que envolvem água quente ou morna estimulam o sistema nervoso parassimpático ou mesmo o sistema nervoso central.

Por isso, eles são recomendados para combater uma série de transtornos mentais, como a depressão, além da própria insônia.

Sistema locomotor

Não são poucas as pessoas que enfrentam dificuldades de locomoção, especialmente quando chegam à terceira idade.

Tanto a água fria quanto a água quente podem ajudar, já que produzem reações nos músculos, seja para prepará-los para um melhor rendimento quanto para relaxá-los e aliviar a rigidez.

Esse fato é tão conhecido que os atletas usam a hidroterapia constantemente.

Os clubes que possuem recursos disponibilizam aos jogadores tanto o ambiente ideal para os banhos quentes após um treino rigoroso quanto depois dos jogos. Por sua vez, o gelo também é utilizado para aliviar dores e tonificar a musculatura.

Sistema respiratório

A temperatura da água quanto e a pressão que ela exerce durante uma imersão favorecem respirações lentas e profundas ou a respiração rápida e superficial.

Por isso, quando aplicados de forma devida, os banhos beneficiam pessoas que sofrem com problemas no sistema respiratório como bronquite asmática, enfisema, entre outras doenças.

Metabolismo

A hidroterapia também contribui para o emagrecimento.

Quando a pessoa é submetida a um banho frio, seu corpo responde com a liberação de calor, assim, ocorre uma aceleração do metabolismo, que leva a um gasto mais acentuado de calorias.

 

 


Sabe o que significa a sigla SPA?


Terapia Quântica


Aromaterapia


Dançaterapia


Eu ainda considero um belo banho de mar e também o banho de cachoeira como uma maravilhosa hidroterapia.

Qual você prefere?

 

Parece Grécia, né? Mas é o Rocca Marina, no Líbano. Agosto de 2018.

 

Cachoeira na Chapada dos Veadeiros. Janeiro de 2020.

 

guia-atacama-lagunas-baltimore-4

Boiando nas águas frias das Lagunas de Baltimore, no Atacama. Novembro de 2018.

 

Águas quentes do Spa do Palacio del Inka, no Peru. Outubro de 2016.

 


Fontes: Wikipedia, Vida Natural e Tua Saude


 

Comentários do Facebook

Um Comentário