Irmãos, segundo a Constelação Sistêmica, são indivíduos que participam de uma mesma comunidade de destino. Eles vêm de um pai e/ou de uma mãe em comum e por isso compartilham da mesma história familiar.

No laço entre irmãos há sempre uma ordem a ser respeitada. Há os que chegaram antes, e os que vieram depois. Mesmo no nascimento de gêmeos, um deles tem a precedência.

Essa ordem é primordial ser olhada e respeitada.

Ainda pelo olhar sistêmico, é necessário olhar para os irmãos que não nasceram. Para os que naturalmente não sobreviveram ou que foram abortados, pois todos estes fazem parte da ordem familiar e têm o seu lugar por pertencimento.

Quando esta boa ordem é respeitada, aqueles que dão são retribuídos pelos bons frutos do que cederam. E os que receberam ficam livres para passar isso adiante. Dessa forma a vida flui, em direção ao mais.

 

“Quem vem primeiro, deve dar mais, porque também recebeu mais, e quem vem depois necessariamente recebe mais. Entretanto, também ele, quando já tiver recebido bastante, dará aos que vierem depois. Assim, dando e tomando, todos se sujeitam à mesma ordem e seguem a mesma lei.”

Bert Hellinger, no livro “No centro sentimos leveza.”

 


Na minha família, sou a caçula temporona.

Vista por muitos como a caçula mimada, e posso até ter sido quando recém nascida, pois meus irmãos já tinha entre 10 e 15 anos a mais que eu! Mas depois, já como pré adolescente, eu mesma me vi em outras posições. Ora como a mais velha das mulheres, ora a mais velha de todos, ora como mãe da minha mãe, ora casada com meu pai, e ora substituindo o irmãozinho que veio antes de mim e que faleceu com 1 dia de nascimento (Allah Yerhamo Zezinho). Houve períodos em que estive em mais de uma posição simultaneamente.

Isso gera o que chamamos de “emaranhamento”.

Enfim, as posições são trocadas em quase todos sistemas, sempre em busca de um equilíbrio. Mas em algum momento será preciso observar isso, enxergar onde, inconscientemente, vc está se colocando e, com consciência, retomar seu lugar.

Esse tema é tão amplo e essa visão é tão profunda que talvez estas palavras tenham sido poucas pra explicar tudo o que está incluído aqui.

Aliás, palavras como #Pertencimento #Inclusão #Ordem #Hierarquia fazem cada vez mais parte da minha vida e dos meus atendimentos terapêuticos.


Mas e VOCÊ sabe em que lugar você se encontra hoje dentro do seu sistema??


 

Eu com minha irmã mais velha à esquerda e a irmã do meio, à minha direita. Dia do meu noivado, no Libano, em agosto de 2004.

Eu com minha irmã mais velha à direita e a irmã do meio, à minha esquerda. Dia do meu casamento, no Brasil, em maio de 2020.

Eu e meu irmão mais velho, na ausência do meu pai, ocupando conscientemente o lugar de tutor.

Os 4 vivos de 5 filhos. 🙂 Essa contagem é uma forma de incluir aquele que já se foi, mesmo quando prematuro.

 


Honrar pai e mãe


Maktub, você acredita em destino?


 

Comentários do Facebook

Sem Comentários