Líbano- o país

Geografia do Líbano

A superfície do Líbano é de 10.452km² e seu litoral tem 210km de extensão. A oeste, o Líbano está banhado pelo Mar Mediterrâneo, enquanto ao norte e ao leste, ele faz fronteira com a Síria e ao sul com Israel.

São aproximadamente 4 milhões de habitantes, sendo 340 habitantes por km². Entre estes, 60 mil líbano-brasileiros residentes no país.

(Hoje em dia, outubro de 2019, praticamente metade destes 4 milhoes está expatriada e a outra boa parte, é de refugiados sírios, que chegam a ultrapassar um milhão).

Enfim, falo mais da geografia e de uma parte da magia do Líbano nesse post, que tá bem legal “O Líbano está na Moda“.

Inegavelmente, o Líbano sempre foi considerado a Suíça do Oriente Médio.

Mas para mim, ele é na verdade uma mescla de Suiça por suas lindas montanhas, Paris, por seu clima romântico, com umas pitadas de Las Vegas, pela agitação noturna, e de Ibiza por suas incríveis pool parties.

Decerto ele faz parte da Terra Santa, devido a sua história milenar que se encontra ainda impregnada a cada esquina.

Já fui inúmeras vezes e cada vez é uma experiência única.

O país e a vida lá é tão agradável que quando vou não consigo ficar 15 ou 20 dias, fico 3 ou 4 meses! 😀

E, por falar em turismo, no verão de 2009, o Líbano recebeu 2 milhões de estrangeiros, a maioria descendentes de libaneses que vivem fora do país, como Brasil, EUA, Austrália e América Central.

 

Um exemplo do nosso poder de reconstrução. :)

Um exemplo do nosso poder de reconstrução. 🙂

No topo de uma das mais altas montanhas do Líbano, a Ainata.

No topo de uma das mais altas montanhas do Líbano, a Ainata, a caminho de Arz, os Cedros do Líbano.

Os Cedros, material com o qual foi construído o castelo de Salomão.

Os Cedros, material com o qual foi construído o castelo de Salomão.

Atrás de mim, o Monte Hermon! Neste lugar, basta ficar alguns segundos em silêncio e você se sente mais próxima de Deus.

Atrás de mim, o Monte Hermon! Neste lugar, basta ficar alguns segundos em silêncio e você se sente mais próxima de Deus.

Bsharre, visitando a casa e museu de Gibran Khalil Gibran. Aqui é mais um lugar que me sinto mais próxima de algo muito sublime.

Bsharre, visitando a casa e museu de Gibran Khalil Gibran. Aqui é outro lugar onde me sinto mais próxima de algo muito sublime.


O Líbano e seu povo

Viajar ao Líbano, encontrar familiares, desfrutar com eles as praias e os resorts do Mediterrâneo, comer uma fruta direto da árvore, nas belas montanhas e depois ir ao Sky Bar para ouvir uma boa música eletrônica alternada com música árabe de primeira qualidade, não tem preço.

Qualquer turista que vai pela primeira vez fica impressionado com a forma de viver dos libaneses.

O ambiente familiar é amoroso e acolhedor e a alegria de viver é contagiante.

Praticamente em todos os ambientes que se frequenta há espaço para as crianças.

Até mesmo durante as chamadas Pool Parties, muito recorrente durante o verão, há espaço para elas, ao mesmo tempo em que você encontra pessoas da 3a ou 4a idade com um copo de bebida em uma mao, uma arguile, na outra e um largo sorriso no rosto curtindo o som o DJ.

Em suma, esse povo, que já passou por guerras, preconceitos e julgamentos, é forte como os Cedros e resiliente como a Fenix. Não se abala e sempre se reergue.

Aliás, vale a pena conferir essa reportagem da CNN sobre a resiliência libanesa.

 

pool.party

Pool Party no Oceana Beach Resort, Damour

Outro lado da Pool Party no Oceana Beach Resort, Damour

Outro lado da Pool Party no Oceana Beach Resort, Damour

 

No Líbano, as pessoas das mais diferentes religiões coexistem e se respeitam, enquanto a mídia mostra o oposto.

Somente no centro de Beirut, existem 10 igrejas e 6 mesquitas, todas muito próximas uma da outra.

Mesquita em Solideire, Beirut.

Mesquita em Solideire, Downtown, Beirut.

As melhores baladas que já fui não são as de Paris, NY, São Paulo ou Miami, mas sim as de Beirut!

E a noite, a capital, onde a maioria é cristã mas muitos muçulmanos frequentam, ferve!

Por isso, os melhores DJs e cantores internacionais são convidados no verão para tocar no Skye Bar, Buddah Bar, White, Music Hall, entre outros, como também nos festivais de Baalback, Biblos, Beittedine, Anjar e o de Batroun.

 

A belíssima Harissa, em Jounieh.

A belíssima Harissa, em Jounieh é visitada frequentemente por milhares de muçulmanos e cristãos. (Crédito da foto: Wikipedia)

Sky Bar fervendo em Beirut

Sky Bar fervendo em Beirut (Esse é o Skye Bar antigo, ele foi reeinaugurado em 2017)

Sky Bar, Beirut

Sky Bar, Beirut

Show do Massari no Festival de Batroun, norte do Líbano.

Show do Massari no Primeiro Festival de Batroun, no norte do Líbano.


E a mulher libanesa?

A mulher libanesa – seja muçulmana, ortodoxa, maronita ou druza – é vaidosa, gosta de se vestir bem.

Prova disso são os 4 dos 10 maiores estilistas internacionais serem libaneses: Eli Saab, Zuhair Mourad, Reem Akra, que costumam vestir as celebridades do Red Carpet, além de Nicolas Jebran, que costuma vestir Kate Parry e Jay Lo.

Mas também, a mulher libanesa gosta de servir o homem, seja seu marido, seu pai, tio ou irmão. Faz com prazer e é valorizada por isso.

Se por elas, em sua grande maioria, dar prioridade à casa, família e filhos é machismo, então, tudo bem, cada um vive bem com sua opção de vida.

Se no Ocidente as mulheres lutam para se igualar aos homens, no Oriente, eles dividem muito bem os papéis.

Qual é o mais certo? Qual é o mais justo? Não dá para dizer, não dá para julgar. Apenas conhecer e respeitar.

Mas também é fato que as mulheres libanesas estão presentes em vários cargos dos mais diversos setores como jornalismo, música, modelagem, gerentes de vendas, empresárias.

Não, não podemos dizer que isso ocorre em todos os países árabes e menos ainda em todos os países de maioria muçulmana como Arábia Saudita, Egito, Yemen e Irã mas sobre estes outros países e povos podemos falar em outros posts, aqui estamos falando do Líbano e dos libaneses. 😉

Comendo uva no quintal da casa da minha avó, em Baloul, Vale do Bekaa.

Comendo uva no quintal da casa da minha avó, em Baloul, Vale do Bekaa.

Curtindo os familiares em Baloul, Vale do Bekka.

Curtindo os familiares em Baloul, Vale do Bekaa.

Curtindo os familiares em Lucy, também conhecida como Sultan Tahta, no Vale do Bekka.

Curtindo os familiares em Lucy, também conhecida como Sultan Tahta, no Vale do Bekka.


Então, o Líbano é muito mais do que um país em guerra, do que mulher submissa, muito mais do que um país com refugiados palestinos e sírios.

O Líbano é símbolo de alta gastronomia, da poesia, é o pólo oriental da moda e do ouro, é um país histórico com passagens de Cristo e com passagens que O antecedem.

É símbolo de coexistência e de resiliência, é a antiga Fenícia dos navegadores e comerciantes.

Líbano está vestido de Brasil hoje – durante a Copa de 2014- pintado de verde e amarelo, pela paixão, admiração, identificação e gratidão que eles têm pelos brasileiros.

(Exatamente o mesmo ocorreu na Copa de 2018!)

Por isso tudo, tenho orgulho de ser libanesa e sou grata aos meus pais pela educação e valores que me deram.

10361526_495382833930644_3065033039400095972_n

 

 


Atualização em outubro de 2019

O Outono Libanês

No último 14 de outubro de 2019, aconteceu uma queimada nas florestas do Líbano. O noticiario disse que foi por causa da mudanca climatica repentina. Independente da causa, isso chocou todos, comoveu, entristeceu.

Porém, já no dia seguinte, começou a chover e a queimada cessou.

Neste mesmo dia, 15 de outubro, o governo libanes decide cobrar uma taxa por cada ligação feita no whats app. Isso voltou a revoltar as pessoas que, acumuladas por toda a crise economica e politica que eles vêm vivendo, acabaram indo às ruas protestar.

Protestavam não a queimada ou a cobrança da taxa do whats app, mas protestavam por mudança, pela destituição total do governo atual e pelo fim da corrupção.

A cada ano que passa há menos libanes vivendo no Libano. Todas pessoas com um minimo de qualificacao (e sao muitos ja que as escolas e universidades libanesas sao excelentes), saem em busca de melhores oportunidades fora, para trabalhar.

E voltam ao país para visitar, para contruir, para ajudar seus familiares, mas os que ainda estão no Libano querem que isso mude. E os expatriados tambem querem essa mudanca, afinal, ninguem (destes) escolheu sair do proprio pais que tanto ama, foram praticamente forçados a isso, assim como meu pai.

Decidi, entao, atualizar o post contando isso pois tenho muito orgulho de como os manifestantes tem agido nas ruas de todo o Líbano. Alias, nas ruas do mundo inteiro, pois imigrantes e expatriados estao tambem fazendo manifestos solidarios.

Há 5 dias nos mostram união, estao todos juntos independente da religiao ou do partido, compaixao um pelo outro, cidadania, limpando as ruas no dia seguinte, muita alegria, cantando e dançando dia e noite, sem violencia, sem gritaria, apenas se divertindo pois assim é o libanes e, principalmente, com muita fé e muito patriotismo.

Voces poderao conferir isso nos 2 videos que gravei no meu IGTV, vejam:

Um lindo resumo dos 3 primeiros dias de manifestos e minha opiniao sobre isso tudo

O quarto dia da “Revolucao Libanesa” ou “Outono Libanes” como devera ser chamado esse marco histórico.

 

 


 Guia de Viagem do Líbano 

 


Texto e Fotos: Dalila Barakat

Fonte de dados: Embaixada do Líbano no Brasil e CNN


Para uma viagem segura e rica em detalhes, contrate nossos serviços através do contato@mileumaviagens.com.br

 


 

Comentários do Facebook

17 Comentários

  • Responder
    Danielle
    03/07/2014

    Muito obrigada por esta “viagem” ao Líbano! Morro de saudades de lá. Realmente o melhor lugar para visitar um dia e voltar várias vezes!!!
    Grande abraço!

    • Responder
      05/09/2014

      Não é mesmo, Danielle? Amo mais que Paris!
      O Líbano é único, o ar que respiramos lá é mágico, todos que vão têm vontade de voltar.
      Ah, como eu amo. 🙂 E que bom que consegui te levar a esta viagem através do meu blog.
      Beijos.

  • Responder
    Caio
    29/08/2014

    Tenho muita vontade de conhecer! Imagina a comida!!! Parabéns, estão lindas as fotos!

    • Responder
      29/08/2014

      Obrigada, Caio.
      A comida árabe é realmente maravilhosa e os doces, então, hummm a maioria vai mel e eu adoro.
      Beijos.

  • Responder
    Marko
    29/06/2015

    Adorei visitar o Líbano por seu blog, com certeza eu vou estar lá em breve, eu acho que Libano é um pais muito interesante e com muita riqueza cultural e agora é um pais que preciso conhecer.
    Muito boa informação.
    Abraço querida.

    • Responder
      31/01/2016

      Marko,
      Desculpe, eu vi seu comentário apenas agora!
      Também acho o Líbano muito rico culturalmente e também em belezas naturais, tem que ser visitado com certeza! Me avise antes de ir pre te dar dicas especiais! 🙂
      Bjs,
      Dalila.

  • Responder
    Yara
    13/11/2015

    Adorei!!!! Minha família veio do Libano e é muito legal conhecer mais pessoas de lá… =D

    • Responder
      14/11/2015

      Que bom que gostou, Yara.
      Sabe de qual cidade eles vieram? Quem sabe faz um post especial desta cidade? 🙂
      Estou preparando váaarios novos posts e VÍDEOS de lá! Fique de olho.
      E obrigada por comentar por aqui.
      Beijinhos,
      Dalila.

  • Responder
    Roberto
    08/05/2017

    Olá Dalila. Parabéns pelas palavras. Seu site é um dos melhores que já vi em termos de informação.
    Quero uma dica: o Líbano é um bom país pra compras tipo EUA? Que tipo de produto vale a pena comprar? Tipo iPhone, eletrônicos, roupas, perfumes….
    Obrigado!!!

    • Responder
      09/05/2017

      Olá Roberto, muito muito obrigada pelo seu feedback. Fico muito feliz.
      O Líbano tem todas as marcas e está na frente com relação a muitos produtos. Sempre são lançados lá antes de virem ao Brasil, mas nem sempre são tão baratos como nos EUA.
      Ano passado consultei um drone e o valor estava muito bom, 500 dólares o último modelo, muito bem melhor que no Brasil mas não necessariamente tão bom qto nos EUA.
      Perfumes e óculos de sol eu sugiro comprar no Free Shop do Líbano que tem diversas opções e ótimos preços. (ATENÇÃO: EVITE comprar no Duty Free e no Dufry de SP e RJ, pois eles tem preços abusivos!)
      OURO sim vale muito a pena comprar lá, a qualidade e design são excelentes e os preços tbm!
      Roupa varia muito da marca mas, em geral, o Líbano não é um país de compras.
      Para isso eu sugiro Panamá, Bolivia ou Colombia que é mais perto, não precisa de visto, a passagem é baratíssima e os valores são excelentes.
      Abs,
      Dalila.

  • Responder
    04/04/2019

    registros de imóveis localizados nesta aldeia qual cartório são registrados,seria possível também o sitio, ficaria muito agradecido por essa informação