Já ouviu falar na palavra Maktub? Você acredita em Destino?


 

Eu sempre acreditei no Destino e, ao mesmo tempo, sempre acreditei que somos nós, através do nosso livre arbítrio e escolhas, que construímos nosso caminho.

Ele foi um marco importante na minha vida. E eu sei que eu também fui na dele, afinal, éramos muito felizes juntos, desde adolescentes, como amigos e confidentes, até jovens quando noivos.

Mas sofremos muuuitas interferências externas.

Talvez não estivéssemos maduros o suficiente para essa união.

Ou não era chegada a hora dos destinos se manterem cruzados.

Ou uma mescla de tudo isso junto.

O fato é que, mesmo ambos sabendo que nossa conexão era única, cada um acabou seguindo seu próprio caminho…

 


Algumas imagens de quase 20 anos atrás..

Em 1998, como apenas amigos, acompanhados de nossas irmãs e amigos, em Beirut

 

2004, em um casamento, poucos dias após nosso noivado

 


A primeira declaração seguida do noivado, em 2004

 

No início de 2004 éramos ainda apenas bons amigos. Ele morava no Líbano com seus pais e irmãs, mas estava passando uma temporada no Brasil.

Desde sempre vivíamos grudados, tanto quando eu ia ao Líbano como aqui no Brasil, quando ele vinha. Mas eu nunca considerei ou desconfiei que poderíamos ter algo a mais.

Até que ele se declarou! Eu me assustei. Achei que estava me trollando e o mandei embora.

No dia seguinte ele voltou no assunto, pelo ICQ (acho kkkk). Se não me engano, ele estava ao lado de um amigo, o Ahd Adel, que confirmou seu interesse e foi quando eu percebi que estava falando sério sobre o assunto.

Aí parei pra pensar na possibilidade e não demorou muitos dias pra eu dizer que SIM. Foi quando ele, voltando da academia, passou em casa e me beijou pela primeira vez. Logo após esse primeiro beijo, me pediu em casamento.

Levei outro susto mas dessa vez não demorou muitos minutos pra eu responder que SIM.

Nosso noivado aconteceu poucos meses depois, no Líbano. Mais precisamente, em 03.08.2004.

Parecia já um casamento. Tínhamos 1200 convidados! Uma grande festa. Eu nem queria grande assim, mas meu pai quis oferecer o melhor já que eu iria viver no Líbano, pelo menos por alguns anos, longe dele. E seguimos, então, todos os costumes e protocolos de uma típica festa árabe.

Éramos dois jovens apaixonados. Mas mesmo ambos querendo muito estar juntos, vamos dizer que não era ainda o tempo de Deus.

Por alguma razão, tivemos que seguir nossas vidas separados. Eu viajando pelo mundo afora, estudando filosofia, psicologia e a mente humana e ele eu nem sei, porque perdi notícias.

Passados acho que uns 2 anos, ele veio morar no Brasil e, sim, ele me procurou algumas vezes mas ambos percebíamos que ainda não era o momento.

Até que ele se casou, em 2012. E foi aí que eu o tirei completamente da minha cabeça. Mas percebo hoje que do coração ele nunca saiu.


 

O reencontro em 2020

Bom, ele se separou no final do ano passado, em outubro de 2020, e logo me contactou. Disse que aquela passagem da vida dele se encerrava ali com um lindo fruto de dois filhos. E me disse também que ele merecia ser feliz e que sabia que só poderia ser comigo. 😍

Conscientemente, eu estava vivendo um momento em que não esperava por essa ligação. Eu estava vivendo um “luto” por ter me desconectado de uma instituição após 21 anos dedicados totalmente a ela. Ou seja, eu estava também “casada” e recém separada. Ao mesmo tempo, algo sempre me disse que isso aconteceria. Que ele voltaria. Afinal, nossa história não chegou a ter um fim. Não discutimos, nem brigamos. Apenas nos afastamos e foi contra nossa vontade.

Enfim, já nessa primeira ligação, ele voltou a me pedir em casamento mas pediu um ano até se organizar e se reestruturar. É claro que eu não dei esse um ano!

Dei alguns meses que confesso que foram mais longos do que esses quase 17 anos separados! E foi turbulento viu. Acho que qualquer pessoa teria desistido. Aliás, eu cheguei a quase desistir umas 3x mas ele não deixou. Me pedia mais paciência. 😳😳💀💀

E foi assim que, com a ajuda de muita meditação e terapia, decidi seguir meu coração. Aguentei a turbulência até o avião pousar e eu entrar como co pilota dessa nova história que está por começar.

Felizes sozinhos, fevereiro 2021

Felizes com as crianças, março 2021

E felizes entre amigos e parentes, abril 2021


 

Nosso casamento

Cerimônia religiosa, 23 de maio 2021

Eis que a cerimônia religiosa da nossa união foi marcada. Nosso kitab bil iktab ocorreu no dia 23 de maio de 2021, na minha casa. Ou, na casa dos meus pais. 😊.

Começou com a típica entrada do noivo acompanhado de sua família à casa da noiva e, na sequência, de forma bem improvisada e sem ensaio, a descida da noiva pela escada, com seu tutor (irmão), para encontrar o noivo.

Foi alegre, leve, harmônico e emocionante, tudo ao mesmo tempo. Aqui tem um mini video desse momento, no IGTV.

Na sequência, o sheikh Ihssan, amigo dos nossos pais de muitosss anos, abriu a cerimônia. Logo depois, o querido amigo também de muitos anos, Sheik Jihad, fez um breve e bonito discurso sobre casamento. E então Tarek pediu minha mão ao meu irmão, que a concedeu seguido do meu SIM e das respectivas assinaturas no livro.

Logo após, trocamos as alianças e, claro, demos dançadinha de leve. Rss

 


Mini cerimônia de inclusão com as crianças, 30 de maio 2021

Por alguns dias ficamos pensando se seria o melhor levar as crianças à cerimônia religiosa do dia 23/05/21, na minha casa, ou não. É claro que inicialmente queríamos que estivessem junto, o pai deles idealizou até que estivessem vestidos de noivinhos (pajens), mas depois acreditamos que ali não entenderiam bem o que estava acontecendo, além de só ter adultos e de ter sido um ritual religioso, não uma festa festa, logo, poderiam ficar fora do contexto e disputaríamos a atenção entre eles e os demais convidados.

Então, decidimos fazer na semana seguinte um casamento somente com eles. Oferecendo TEMPO de QUALIDADE com PRESENÇA, nossa e deles, de forma que se sentissem totalmente INCLUÍDOS nesse novo lar que está se formando.

Fomos a um lugar impactante para ajudar a ser um momento inesquecível. Eles participaram dos votos, da entrega das alianças, que até ajudaram a colocar nos dedos. Ficaram felizes. Muito! E nós mais ainda.

Não conto esse capítulo aqui para mostrar ou provar nada a ngm mas para inspirar as madrastas ou futuras madrastas e padrastos que é possível amar os filhos de outra mãe ou outro pai, dando todo amor e atenção que precisam e os incluindo na sua vida e na sua rotina. Basta ter organização, firmeza e muuuuito amor para que todo sacrifício se torne PRAZER.

Enfim, muitos me diziam que essa seria a parte mais difícil. Que eu não conseguiria. Que isso ou aquilo.

Mas mais uma vez eu não dei ouvidos a essas vozes e sim ao meu coração e, honestamente, eles têm sido a melhor parte de todas. Uma benção e uma incrível oportunidade de acompanhar o crescimento de 2 seres lindos, gostosos, inteligentes e ao mesmo tempo inocentes que, também pela mão do DESTINO, estando já escrito (Maktub) ou não, vieram fazer parte da minha vida e que portanto só posso AGRADECER e dar as Boas Vindas. 💝

 

 


 

Por fim, desejo a nós e a todos vocês muita benção, muita Luz, muita Alegria, muito Amor Próprio, Amor ao próximo e acima de tudo, Amor à Deus.

ACREDITE! Confie, Entregue e Agradeça.

Está tudo sobre o controle Dele, você só precisa fazer a sua parte.


 

Comentários do Facebook

Um Comentário