O Santuário de São Damião, pela cronologia,  seria o segundo local a ser visitado pois foi pra cá que ele se refugiou após sair da casa dos pais.

Aqui, encontrou a Cruz de São Damião que lhe falou:

“Francisco, reerga minha casa, que está em ruínas”

E foi então quando ele começou a reconstruir pedra por pedra, dia por dia.

Nesse local, ele esteve por bastante tempo sozinho, depois os seguidores foram se juntando, até que chegou Clara, em 18 de março de 1212.

Nesse momento, ele decidiu deixar o espaço para Clara e, futuramente, às Clarices e desceu para Rivotorto.

Ela viveu nesse monastério por muitos anos, até sua morte e foi um local onde eles se encontraram inúmeras vezes, pois ele ia visita-la com frequência.

Gosto demais desse lugar.

Não posso deixar de contar que foi aqui também que ele criou a oração o Cântico das Criaturas, uma das mais importantes.

Esse cântico fala do Irmão Sol, Irmã Lua, do Criador e todas suas criaturas e fala também da morte:

“Louvado sejas, meu Senhor, pelos que perdoam por teu amor, e suportam enfermidades e tribulações”

Escrita em um momento em que ele sofria no corpo por haver recebido as chagas de Cristo (fim de 1224).

Mas em espírito, ele vivia a verdadeira alegria.


Local: Está muito próximo do centro histórico de Assis, inclusive, muitos vão caminhando. Eu, como não era peregrina, fui de carro mesmo e não cheguei a levar mais do que 15min para chegar.

Horários: 10:30–12:00 e 14:00–18:00


 

sao-damiao-1

sao-damiao-4

sao-damiao-7

sao-damiao-8

sao-damiao-9-1

sao-damiao-9-2

sao-damiao-5

 


Texto e Fotos: Dalila Barakat

Viagem realizada em agosto de 2009 e janeiro de 2018


 

Guia do caminho de São Francisco de Assis

 


 

Comentários do Facebook

Os comentários estão encerrados